segunda-feira, 14 de novembro de 2011



[...] todos temos quarenta e seis cromossomos em nossas células, mas temos diferenças cruciais na capacidade de suportar adversidades. Precisamos expandir nosso nível de suportabilidade, pois ninguém tem céu sem tempestade [...]


Augusto Cury - Trecho 'O vendedor de sonhos e a revolução dos anônimos'. 

domingo, 6 de novembro de 2011



Os amigos são próprios de fases: da rua, do Ensino Fundamental, do Ensino Médio, da faculdade, do futebol, da poesia, do emprego, da dança, dos cursos de inglês, da capoeira, da academia, do blog. Significativos em cada etapa de formação. Não estão em nossa frente diariamente, mas estão em nossa personalidade, determinando, de modo imperceptível, as nossas atitudes.

Quantas juras foram feitas em bares a amigos, bêbados e trôpegos? Amigo é o que fica depois da ressaca. É glicose no sangue. A serenidade.

Fabrício Carpinejar 

sábado, 29 de outubro de 2011

Happiness



Felicidade é questão de ponto de vista.  Seu tédio pode ser sorriso do Zé. O riso do Zé pode ser a tristeza do João. Se é que me entendem. Felicidade tem vários nomes. Alguns chamam de carro, outros de amor, ainda outros rotulam de felicidade prazeres instantâneos. Há aqueles que insistem em dizer que esta mesmo não existe, é apenas um faz de conta da nossa imaginação sedenta de alguma esperança de salvação desse mundo estragado. Bem aventurados os que com nada e com tudo fazem felicidade. Bem aventurados os que a acham e conseguem mantê-la viva dentro de si, mesmo quando a amargura, a decepção, e a fragilidade tentam corrompe-la. E você, o que acha? Felicidade: substantivo ou sentimento? 


quinta-feira, 27 de outubro de 2011

MEDO DE SE APAIXONAR



Você tem medo de se apaixonar. Medo de sofrer o que não está acostumada. Medo de se conhecer e esquecer outra vez. Medo de sacrificar a amizade. Medo de perder a vontade de trabalhar, de aguardar que alguma coisa mude de repente, de alterar o trajeto para apressar encontros. Medo se o telefone toca, se o telefone não toca. Medo da curiosidade, de ouvir o nome dele em qualquer conversa. Medo de inventar desculpa para se ver livre do medo. Medo de se sentir observada em excesso, de descobrir que a nudez ainda é pouca perto de um olhar insistente. Não suportar ser olhada com esmero e devoção. Nem os anjos, nem Deus agüentam uma reza por mais de duas horas. Medo de ser engolida como se fosse líquido, de ser beijada como se fosse líquen, de ser tragada como se fosse leve. Você tem medo de se apaixonar por si mesma logo agora que tinha desistido de sua vida. Medo de enfrentar a infância, o seio que criou para aquecer as mãos quando criança, medo de ser a última a vir para a mesa, a última a voltar da rua, a última a chorar. Você tem medo de se apaixonar e não prever o que pode sumir, o que pode desaparecer. Medo de se roubar para dar a ele, de ser roubada e pedir de volta. Medo de que ele seja um canalha, medo de que seja um poeta, medo de que seja amoroso, medo de que seja um pilantra, incerta do que realmente quer, talvez todos em um único homem, todos um pouco por dia. Medo do imprevisível que foi planejado. Medo de que ele morda os lábios e prove o seu sangue. Você tem medo de oferecer o lado mais fraco do corpo. O corpo mais lado da fraqueza. Medo de que ele seja o homem certo na hora errada, a hora certa para o homem errado. Medo de se ultrapassar e se esperar por anos, até que você antes disso e você depois disso possam se coincidir novamente. Medo de largar o tédio, afinal você e o tédio enfim se entendiam. Medo de que ele inspire a violência da posse, a violência do egoísmo, que não queira repartir ele com mais ninguém, nem com seu passado. Medo de que não queira se repartir com mais ninguém, além dele. Medo de que ele seja melhor do que suas respostas, pior do que as suas dúvidas. Medo de que ele não seja vulgar para escorraçar mas deliciosamente rude para chamar, que ele se vire para não dormir, que ele se acorde ao escutar sua voz. Medo de ser sugada como se fosse pólen, soprada como se fosse brasa, recolhida como se fosse paz. Medo de ser destruída, aniquilada, devastada e não reclamar da beleza das ruínas. Medo de ser antecipada e ficar sem ter o que dizer. Medo de não ser interessante o suficiente para prender sua atenção. Medo da independência dele, de sua algazarra, de sua facilidade em fazer amigas. Medo de que ele não precise de você. Medo de ser uma brincadeira dele quando fala sério ou que banque o sério quando faz uma brincadeira. Medo do cheiro dos travesseiros. Medo do cheiro das roupas. Medo do cheiro nos cabelos. Medo de não respirar sem recuar. Medo de que o medo de entrar no medo seja maior do que o medo de sair do medo. Medo de não ser convincente na cama, persuasiva no silêncio, carente no fôlego. Medo de que a alegria seja apreensão, de que o contentamento seja ansiedade. Medo de não soltar as pernas das pernas dele. Medo de soltar as pernas das pernas dele. Medo de convidá-lo a entrar, medo de deixá-lo ir. Medo da vergonha que vem junto da sinceridade. Medo da perfeição que não interessa. Medo de machucar, ferir, agredir para não ser machucada, ferida, agredida. Medo de estragar a felicidade por não merecê-la. Medo de não mastigar a felicidade por respeito. Medo de passar pela felicidade sem reconhecê-la. Medo do cansaço de parecer inteligente quando não há o que opinar. Medo de interromper o que recém iniciou, de começar o que terminou. Medo de faltar as aulas e mentir como foram. Medo do aniversário sem ele por perto, dos bares e das baladas sem ele por perto, do convívio sem alguém para se mostrar. Medo de enlouquecer sozinha. Não há nada mais triste do que enlouquecer sozinha. Você tem medo de já estar apaixonada.

Fabrício Carpinejar  

terça-feira, 18 de outubro de 2011



E o seu silêncio me perturba. Será amor ou falta dele? Será medo ou desprezo? Personalidade ou sou eu o problema?  Diga-me, ou o sopro da falta de suas palavras me levará embora. E eu não vou voltar.



segunda-feira, 17 de outubro de 2011


Olha,eu sei que o barco tá furado e sei que você também sabe, mas queria te dizer pra não parar de remar, porque te ver remando me dá vontade de não querer parar também.Tá me entendendo? Eu sei que sim. Eu entro nesse barco, é só me pedir. Nem precisa de jeito certo, só dizer e eu vou. Faz tempo que quero ingressar nessa viagem, mas pra isso preciso saber se você vai também. Porque sozinha, não vou. Não tem como remar sozinha, eu ficaria girando em torno de mim mesma. Mas olha, eu só entro nesse barco se você prometer remar também! Eu abandono tudo, história, passado, cicatrizes. Mudo o visual, deixo o cabelo crescer, começo a comer direito, vou todo dia pra academia. Mas você tem que prometer que vai remar também, com vontade! Eu começo a ler sobre política, futebol, ficção científica. Aprendo a pescar, se precisar. Mas você tem que remar também. Eu desisto fácil, você sabe. E talvez essa viagem não dure mais do que alguns minutos, mas eu entro nesse barco, é só me pedir. Perco o medo de dirigir só pra atravessar o mundo pra te ver todo dia. Mas você tem que me prometer que vai remar junto comigo. Mesmo se esse barco estiver furado eu vou, basta me pedir. Mas a gente tem que afundar junto e descobrir que é possível nadar junto. Eu te ensino a nadar, juro! Mas você tem que me prometer que vai tentar, que vai se esforçar, que vai remar enquanto for preciso, enquanto tiver forças! Você tem que me prometer que essa viagem não vai ser a toa, que vale a pena. Que por você vale a pena. Que por nós vale a pena.Remar.Re-amar.Amar.

                                                                                       Caio Fernando Abreu

sexta-feira, 14 de outubro de 2011




Feche seus olhos, me dê sua mão, querido.
Você sente meu coração pulsando?
Você compreende?
Você sente o mesmo?
Estou apenas sonhando?
Isto que está ardendo é uma chama eterna?
...

Diga meu nome, o sol brilha em meio à chuva...
Uma vida toda tão sozinha,
E então você chega e alivia a dor.
Eu não quero perder este sentimento.


Eternal Flame

The Bangles



   

quinta-feira, 13 de outubro de 2011


“Mas não te procuro mais, nem corro atrás.

Deixo-te livre para sentir minha falta, se é que faço falta…

Tens meu número, na verdade, meu coração,

então se sentir vontade de falar comigo

ou me ver, me procura você.”

(Caio Fernando Abreu)

quarta-feira, 12 de outubro de 2011



Os sonhos inspiram a emoção, libertam a imaginação, irrigam a inteligência. Quem sonha  reescreve seus textos e reinventa sua história. Vocês se reinventam?


                                                              - O vendedor de sonhos e a revolução dos anônimos
                                                                                       - Augusto Cury

domingo, 9 de outubro de 2011



Mais uma semana recomeçando. Lua brilhando. Sol acordando. Levanto. Passos leve. Na janela o vento me lembra de você. Vento este que sussurra em meus ouvidos saudades tua. Semana cumprida. Obstáculos. Alegrias. Amigos. Chuva. E um pouco de silêncio. Ah como eu te lembro! Nos finais de dia escuto minhas velhas músicas. Algumas tuas. Agora minhas. Telefone perto. Vontade insana. Ah como quero te ligar. Digito os números que vagam minha mente noite e dia. Não ligo. Acaba a semana. E uma nova esperança. Porque amor verdadeiro agente espera. É como a espera da luz do Sol, agente sabe que no outro dia ele vai brilhar só não se sabe se as nuvens irão atrapalhar... E se amanha nublar, Oh Deus como eu vou esperar o céu se abrir para ver meu amor sorrir.


sábado, 8 de outubro de 2011




''Eu sei que vou. Insisto na caminhada. O que não dá é pra ficar parado. Se amanhã o que eu sonhei não for bem aquilo, eu tiro um arco-íris da cartola. E refaço. Colo. Pinto e bordo. Porque a força de dentro é maior. Maior que todo mal que existe no mundo. Maior que todos os ventos contrários. É maior porque é do bem. E nisso, sim, acredito até o fim. O destino da felicidade, me foi traçado no berço"

Caio Fernando de Abreu



 ''Que  te dizer? Que te amo, que te esperarei um dia na rodoviária, num aeroporto, que te acredito, que consegues mexer dentro-dentro de mim? É tão pouco. Não te preocupa. O que acontece é sempre natural - se a gente tiver que se encontrar, aqui ou na China, a gente se encontra. Penso em você principalmente como minha possibilidade de paz - a única que pintou até agora, “nesta minha vida de retinas fatigadas”. E te espero. E te curto todos os dias. E te gosto. Muito."

Caio. A

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Desabafo...


Imperfeita. Torta. Errada. Tento. Mas eu nunca vou conseguir. Triste. Anjo de asas quebradas. Como se estivesse deitada na sacada da janela do último andar, quase caindo. Caindo de amor. Porque eu sei que nossas vidas nunca vão se juntar. Ar gelado soprando a cara, refrescado com as lágrimas cansadas. Eu quero você. Não posso ter. Escolheria nascer de novo e toda perfeita para você. ‘’Tu mereces algo inexplicável ‘’. Algo bem melhor do que eu. Mas Deus o que é que eu faço com esse amor? Aonde vou colocar? Aonde vou jogar? Da onde isso nasceu?  Espero que pelo menos em outra vida tu sejas meu.


terça-feira, 4 de outubro de 2011


Amor. De manhã. De tarde. Esta noite. Sempre amor. Raios do Sol iluminam seus olhos de diamantes. Seu sorriso faz chover em meus olhos. Seu cheiro entorpece minha mente desvairada. Enlouqueci de Amor. Meu vicio. Você. Minha alegria. Você. Você é o cheiro das flores da minha Primavera. Eu o amo. Você, sujeito essencial da minha oração.



domingo, 2 de outubro de 2011




 




Ontem o vento disse “vai”. Hoje ele diz “viu”.
O vento sempre acerta.

Nanoconto de Alex Sandro Maggioni Spindler


Para o amor, um banco de praça já basta. Ou ficar na frente do portão. Ou uma xícara de café. Amor mesmo é um filme de baixo orçamento.
(Desconheço autoria)

sexta-feira, 30 de setembro de 2011


Pela janela vejo coisas. Pessoas. Céus. A música bonita dos passarinhos. Não vejo você. Mas...te sinto. Deveria parar com isso. Não consigo. Vou mudar. Prometo. Vou ser livre.  E um dia eu serei sua prisão assim como você foi a minha. Ai será tarde demais. Vou estar ocupada vivendo minha vida. Então se me ama, seja rápido. O seu tempo está acabando.


quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Sinto saudades...


Sinto saudades de tudo que marcou a minha vida.
Quando vejo retratos, quando sinto cheiros,
quando escuto uma voz, quando me lembro do passado,
eu sinto saudades...

Sinto saudades de amigos que nunca mais vi,
de pessoas com quem não mais falei ou cruzei...

Sinto saudades da minha infância,
do meu primeiro amor, do meu segundo, do terceiro,
do penúltimo e daqueles que ainda vou ter, se Deus quiser...

Sinto saudades do presente,
que não aproveitei de todo,
lembrando do passado
e apostando no futuro...

Sinto saudades do futuro,
que se idealizado,
provavelmente não será do jeito que eu penso que vai ser...

Sinto saudades de quem me deixou e de quem eu deixei!
De quem disse que viria
e nem apareceu;
de quem apareceu correndo,
sem me conhecer direito,
de quem nunca vou ter a oportunidade de conhecer.

Sinto saudades dos que se foram e de quem não me despedi direito!

Daqueles que não tiveram
como me dizer adeus;
de gente que passou na calçada contrária da minha vida
e que só enxerguei de vislumbre!

Sinto saudades de coisas que tive
e de outras que não tive
mas quis muito ter!

Sinto saudades de coisas
que nem sei se existiram.

Sinto saudades de coisas sérias,
de coisas hilariantes,
de casos, de experiências...

Sinto saudades do cachorrinho que eu tive um dia
e que me amava fielmente, como só os cães são capazes de fazer!

Sinto saudades dos livros que li e que me fizeram viajar!

Sinto saudades dos discos que ouvi e que me fizeram sonhar,

Sinto saudades das coisas que vivi
e das que deixei passar,
sem curtir na totalidade.

Quantas vezes tenho vontade de encontrar não sei o que...
não sei onde...
para resgatar alguma coisa que nem sei o que é e nem onde perdi...

Vejo o mundo girando e penso que poderia estar sentindo saudades
Em japonês, em russo,
em italiano, em inglês...
mas que minha saudade,
por eu ter nascido no Brasil,
só fala português, embora, lá no fundo, possa ser poliglota.

Aliás, dizem que costuma-se usar sempre a língua pátria,
espontaneamente quando
estamos desesperados...
para contar dinheiro... fazer amor...
declarar sentimentos fortes...
seja lá em que lugar do mundo estejamos.

Eu acredito que um simples
"I miss you"
ou seja lá
como possamos traduzir saudade em outra língua,
nunca terá a mesma força e significado da nossa palavrinha.

Talvez não exprima corretamente
a imensa falta
que sentimos de coisas
ou pessoas queridas.

E é por isso que eu tenho mais saudades...
Porque encontrei uma palavra
para usar todas as vezes
em que sinto este aperto no peito,
meio nostálgico, meio gostoso,
mas que funciona melhor
do que um sinal vital
quando se quer falar de vida
e de sentimentos.

Ela é a prova inequívoca
de que somos sensíveis!
De que amamos muito
o que tivemos
e lamentamos as coisas boas
que perdemos ao longo da nossa existência...

Clarice Lispector

quarta-feira, 3 de agosto de 2011


E naquele momento meu coração sangrou. Não sei o que era, mas não haviam lagrimas escorridas. A coisa era interna. A chuva caiu mais forte, parecia até que queria fazer trilha sonora para a minha decepção...E para piorar no telefone um passado vem me perturbar.Eu juro que queria dizer outras coisas. Mas não consegui. Não era pra ser. Talvez não era. Eu só queria saber o motivo disso tudo, eu só queria saber se irá valer a pena, tantas estações sofridas.Agora sinto algo inexplicável, uma coisa vaga, doída, uma coisa ferida, sensação horrível, eu só queria chorar.Já ouvir dizer que é só uma fase. Que vai passar. Eu não acredito nisso. No final esses rastros infelizes sempre ficarão vagando aqui. Nesses últimos 215 dias tanta coisa se passou, tantas pessoas...tantos sorrisos acabados em saudade.

Bi. F

sábado, 30 de julho de 2011



E eu ainda sou uma das poucas românticas que ainda existem. Não sei bem olhar o mundo sem colocar o Amor no pedestal. Eu ainda não sei seguir em frente sem isto. Eu ainda não sei como é olhar pela janela e não pensar em você.

Bi. F.

terça-feira, 26 de julho de 2011


E por que me preocupo tanto? Se sou apenas uma garota que você usou para colocar no lugar de ‘’um outro’’ alguém. Você nunca saberá o que eu senti. Sozinha. Olhar pedido. Distância maldita. Ruas e ruas até você. E você não sabe o que é isso. E nunca saberá. E eu sinto muito por isso.  Guardarei esse sentimento. Em segredo. Porque ninguém nunca entenderia como é gostar de você.  -Segundos. Minutos. Horas. Dias. O relógio não para, e você ainda está aqui dentro-.

Bi.F

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Se eu fosse um garoto...



Se eu fosse um garoto
Eu acho que entenderia
Como se sentir por amar uma garota
Eu juro que seria um homem melhor
Eu a escutaria
Porque eu sei como magoa
Quando você perde alguém que queria
Porque ele não te dá valor
E tudo que vocês tinham foi destruído



(Beyonce- If I were a boy)





sábado, 23 de julho de 2011

Conversando com a lua


À noite, quando as estrelas
Iluminam o meu quarto
Me sinto sozinho
Falando com a lua
Tento chegar até você
Na esperança de que você esteja
No outro lado
Falando comigo também
Ou eu sou um tolo
Que fica sentado sozinho
Conversando com a lua...
(Bruno Mars)


Deixe rolar, acontecer. Deixe o vento bater em seus cabelos, o sol queimar sua face e não se importe. Continue ouvindo seu som, e mais uma vez não se importe com o que vão pensar ou dizer. Não permita que os alheios firam seus sentimentos e nem sua auto-estima. Você é bem mais que isso.

Beatriz Ferreira.


sexta-feira, 22 de julho de 2011

Românticos

Românticos são poucos,
Românticos são loucos, desvairados
Que querem ser o outro,
Que pensam que o outro,
É o paraíso.

Românticos são lindos,
Românticos são limpos e pirados
Que choram com baladas,
Que amam sem vergonha e sem juízo
São tipos populares, que vivem pelos bares
E mesmo certos vão pedir perdão
E passam a noite em claro
conhecem o gosto raro
De amar sem medo de outra desilusão
Romântico é uma espécie em extinção.                                                                               
Vander lee

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Feliz dia do amigo


E eu sei q a nossa amizade não vai acabar.Bruninha apesar das nossas diferenças, nossa amizade é verdadeira e é isso q importa. Feliz dia do amigo! É bom estar com vc, é bom conversar com você pelo celular enquanto eu pego o onibus errado e fico perdida. Eu amo você amiga! Por isso o post de hoje dedico a vc.. s2

O verdadeiro amigo
Compreenda.
Releve.
Nunca abandone
o verdadeiro amigo.
Ele pode nem estar
ao seu lado agora.
Mas certamente,
estará sempre contigo.

Clarice Pacheco


terça-feira, 19 de julho de 2011


Sabe que o meu gostar por você chegou a ser amor, pois se eu me comovia vendo você, meu Deus…como você me doía! De vez em quando eu vou ficar esperando você,então os meus braços não vão ser suficientes para abraçar você e a minha voz vai querer dizer tanta, mas tanta coisa que eu vou ficar calada um tempo enorme… só olhando você, sem dizer nada, só olhando e pensando: Meu Deus, mas como você me dói de vez em quando!

segunda-feira, 18 de julho de 2011



George Bernard Shaw escreveu: “Existem 2 tragédias na vida. Uma é perder o que o seu coração deseja. A outra é conseguir.
(citação de ''One tree Hill'')

quinta-feira, 7 de julho de 2011


Creio que fui abençoada com um coração gigantesco e em contrapartida com um pavio bem curto, são os ápices que me mantém em pé!!!
Martha Medeiros

Ausência...



Ausência física, ausência da voz e do cheiro, das risadas e do piscar de olhos, saudade da amizade que ficará na lembrança e em algumas fotos.
Martha Medeiros

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Querido Sr. Presidente



Querido Sr. Presidente
Como você dorme a noite?
Como você anda com a cabeça erguida?

(Pink)

sábado, 2 de julho de 2011


[...] - Uma existência sem sonhos é uma semente sem solo, uma planta sem nutrientes. Os sonhos não determinam que tipo de árvore  você será, mas dão forças para você entender que não há crescimento sem tempestades, períodos de dificuldades e incompreensão. 
      
                                                          ( O vendedor de sonhos- e a revolução dos anônimos_Augusto C.)


quinta-feira, 30 de junho de 2011



Quem inventou o amor? 
Me explica por favor Quem inventou o amor? Me explica por favor Vem e me diz o que aconteceu Faz de conta que passou Quem inventou o amor? Me explica por favor Daqui vejo seu descanso Perto do seu travesseiro Depois quero ver se acerto Dos dois quem acorda primeiro Quem inventou o amor? Me explica por favor Quem inventou o amor? Me explica por favor Quem inventou o amor? Me explica por favor Quem inventou o amor? Me explica por favor Enquanto a vida vai e vem Você procura achar alguém Que um dia possa lhe dizer -Quero ficar só com você Quem inventou o amor? 



segunda-feira, 11 de abril de 2011


‘Pessoas. Maravilhosas. Passam. Ensinam. Se vão. Deixam rastros. Risos e abraços. Se vão. Sem explicação. Saudade bate.  Sentimento que não cabe aqui dentro. Sai pra fora. Derrama sobre minha face. Até cair no meu sorriso repentino. Sim. Lembrei-me que você gostava de me ver feliz. ’
By. Beatriz Ferreira

domingo, 13 de fevereiro de 2011


Eu sinto as pedras agredindo meu calcanhar. Eu sinto as pedras dançarem com meus pés descalços. Elas machucam. Dói. Mas sei que é o único jeito. Único. Tenho que passar pelo caminho. Não posso caminhar sobre as águas. Resta o caminho das pedras. Não há passagem perfeita. Não há algo que possa me proteger. Caminho. Surpresas. De repente a chuva. O Sol. A Lua. O vento. Achei uma flor. Mas amanhã ela irá murchar se eu arrancá-la daqui. Tenho que prosseguir sem ela. Apenas levo a lembrança do seu perfume. Que me encoraja. Sim! Sinto posso chegar lá. Todos nós podemos. Nem sempre conseguimos. Mas o grande segredo está em regar as flores. E partir. Não as machuque. Apenas as ame. Mesmo quando você não acreditar no amor. Ele está ai. Dentro de ti. Não o mate. Regue-o também. E não importa se o caminho for longo ou curto. Não estarei sozinha. Você também não.

By. Beatriz F.

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Todos os Verbos

Errar é útil

Sofrer é chato
Chorar é triste
Sorrir é rápido
Não ver é fácil
Trair é tátil
Olhar é móvel
Falar é mágico
Calar é tático
Desfazer é árduo
Esperar é sábio
Refazer é ótimo
Amar é profundo
E nele sempre cabem de vez
Todos os verbos do mundo
Abraçar é quente
Beijar é chama
Pensar é ser humano
Fantasiar também
Nascer é dar partida
Viver é ser alguém
Saudade é despedida
Morrer um dia vem         
Mas amar é profundo                                                          
E nele sempre cabem de vez

Todos os verbos do mundo

(Zélia Duncan)        




Clique Aqui e baixe já a música!                                                                         


Há noites que eu não posso dormir de remorso por tudo o que eu deixei de cometer.


Mário Quintana

domingo, 6 de fevereiro de 2011


Cada pessoa que passa em nossa vida, passa sozinha, é porque cada pessoa é única e nenhuma substitui a outra! Cada pessoa que passa em nossa vida passa sozinha e não nos deixa só porque deixa um pouco de si e leva um pouquinho de nós. Essa é a mais bela responsabilidade da vida e a prova de que as pessoas não se encontram por acaso.
   

                                                                                                                                          Charles Chaplin